Buscar
  • Marcelino Andrade

MEIO AMBIENTE: COMO REDUZIR O CONSUMO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES


A escassez do recurso hídrico já afeta diversos países e provoca conflitos em todo o mundo. Segundo estimativas da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), em 2025 cerca de 1,8 bilhão de pessoas viverão em países com escassez de água absoluta.

Embora ocupe posição privilegiada, com uma reserva de água doce que representa 12% do total disponível no planeta, o Brasil sofre com a má distribuição, gerenciamento inadequado e desperdício do recurso. De acordo com o estudo divulgado pelo Trata Brasil, os dados mais recentes do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) dão conta de que o país desperdiçou 38% de sua água potável no ano de 2016, o equivalente a cerca de 7 mil piscinas olímpicas e um dano financeiro que supera a marca dos R$ 10 bilhões.

Pensando em contribuir com a transformação desse cenário, elencamos 4 passos que são determinantes para a redução do consumo de água em edificações. Medidas que podem ser empregadas facilmente em seu projeto hidrossanitário.

Passo 1: Reuso de água pluvial

Além de ser uma ação sustentável, a captação de água da chuva propicia um ganho econômico em curto prazo, já que o reservatório atende às aplicações que não exigem consumo de água potável.

A inserção desse sistema pressupõe o dimensionamento das calhas, localizadas no topo da edificação, dos condutos e da cisterna. Além da contabilização do filtro e da bomba. Todos os itens podem ser adicionados com facilidade através de uma plataforma computacional.


Passo 2: Equipamentos adequados

A escolha dos elementos que farão parte da construção também é fundamental no plano de redução do consumo. Atualmente, existem no mercado dezenas de produtos que visam a economia de água e acabam tornando-se um investimento de retorno quase imediato, já que são capazes de reduzir as contas de água e energia em poucos meses.


Veja alguns dos mais importantes:

1 - Descarga com válvula econômica: possibilita o uso para fins diferentes. Em geral, ela dispõe 3 litros de água para resíduos líquidos e 6 litros para resíduos sólidos. Estima-se que isso reduza em 50% o consumo de água.

2 - Arejador: garante a diminuição da vazão sem prejudicar o volume. A taxa de redução do consumo varia entre 50 e 80%.

3 - Torneira com desligamento automático: Com vazão programada para funcionar dentro de alguns segundos, ou sensor de movimento, esse equipamento permite reduzir o uso da água em até 70%.


Passo 3: Definição correta da pressão na rede hidráulica

O projeto de instalação da rede hidráulica deve atender aos requisitos normativos de dimensionamento da pressão nos equipamentos. A NBR 05626 – 1998 estabelece valores mínimos de pressões para os pontos hidráulicos, a fim de que o uso da água seja o mais eficiente possível.

A pressão hidráulica excessiva contribui significativamente para o desperdício de água, tendo em vista que a vazão resultante será muito maior do que o necessário. Logo, o dimensionamento bem elaborado das tubulações se apresenta como fator determinante para a redução do consumo.


Passo 4: Hidrômetros individuais

Ideais para residências multifamiliares, os hidrômetros individuais permitem que o gasto de cada apartamento seja contabilizado separadamente. Desta forma, há possibilidade de identificar os custos mais altos e reduzir o consumo, além da cobrança ser realizada de forma justa.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo